domingo, 21 de junho de 2009

Técnica da Instalação do Estado Vibracional

Definição. É a técnica que utiliza a ação da vontade para produzir uma varredura energética, acelerando a frequencia vibratória de todo o holochacra - campo energético pessoal. Essa simples providência pode promover a desintoxicação energética, compensando e restabelecendo o livre fluxo das Ev - energias conscienciais - tanto da conscin como da consciex (Vieira, 1994)

Procedim
entos:
  1. Fique ereto, com os pés separados um do outro.
  2. Cerre as pálpebras.
  3. Deixe os braços caírem ao longo do soma.
  4. Dirija o fluxo de sua bioenergia, pela impulsão da vontade, da cabeça até às mãos e os pés.
  5. Traga de volta o fluxo da sua EC, por sua vontade decidida, dos pés até à cabeça. Identifique, então, através das suas sensações ou vivências autocríticas, a direção do fluxo da EC de baixo para cima, nitidamente contrário ao fluxo ante­rior.
  6. Repita estes procedimentos 10 vezes, sentindo e discriminando o fluxo da EC varrendo os órgãos do seu soma.
  7. Aumente, gradualmente, a velocidade ou o ritmo da impulsão do fluxo da EC, por intermédio da força de impulsão da sua vontade decidida.
  8. Expanda, ao máximo, a intensidade ou o volume do fluxo da EC que passará a compor circuitos cada vez maiores e mais potentes, por dentro e por fora do seu soma.
  9. Instale, por fim, o EV, ou estado vibracional. O fluxo e o circuito fechado desa­pa­recem. Toda a sua psicosfera energética torna-se completamente acesa, feérica ou incandescente com a EC vibrante e você sente sem qualquer dúvida. Você perceberá isso perfeitamente. Este fato convence você da realidade.
Obs.: Se não sabe o que é a bioenergia, não importa. As práticas lhe mostrarão, a breve tempo, a realidade energética. Se nada sentir nas pri­mei­ras tentativas, insista mesmo assim. Acabará sentindo, porque a EC, ou energia consciencial, é da sua parafisiologia inevitável, relativa ao holochacra. Assim começam os desbloqueios e as com­pensações das ECs em seus centros energéticos ou chacras básicos.

Repetições. Repita todo o procedimento, de início 20 vezes por dia, em condições, situações e circunstâncias diferentes, sempre mantendo-se na posição de pé ou ereto, seja nu (ou nua) no banheiro; vestido esportiva ou socialmente; segurando embrulhos; debaixo da luz do Sol; sob a chuva; e por aí afora, em qualquer lugar seguindo a sua motivação.

Alerta. Nunca se sabe quando precisaremos de nossas autodefesas energéticas. A vida sem­pre oferece surpresas, nem todas bem-vindas ou agradáveis. Vive melhor quem está preparado e aler­ta, bioenergeticamente, 24 horas por dia, o ano inteiro. Perde quem empre­ga arti­fí­cios, andaimes pseudoprovidenciais, ou muletas parapsicofísicas, seja qual for a na­tu­reza ou a desculpa, pretendendo otimizar ou "enriquecer" essa técnica. Isso impedirá o cres­cimento da confiança na própria vontade e nas ECs. Seja no estado pro­jetado, ou no estado extrafísico com o soma desativado, ninguém dispõe de objeto físico para servir de muleta ou suporte parapsicológico e desnecessário.

Transferência. Quem transfere erradamente para a muleta, o esforço que precisa em­pre­gar com a vontade sobre as ECs, não vem a conhecer a si próprio, discrimi­nar as ECs, e melhorar o autodomínio emocional.

Extraído dos Livros:
Vieira, Waldo; 700 Experimentos da Conscienciologia; p. 348, 1994.
Balona, Malu; Autocura através da Reconsciliação; p. 220, 2004. 2ª Edição.


Por Dalton e Andréa
Nota: O EV ou Estado Vibracional é mais difícil de ser obtido e exige muita prática e força de vontade. É um estado avançado, intenso e sadio das bioenergias que causa bem estar no praticante e “limpa” e protege o ambiente de energias e espíritos negativos. O EV é resultado de uma MBE intensa.

http://www.comunidade-espiritual.com/profile.php?sub_section=view_blog&id=1858&sub_id=3645

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Técnica da Circulação Fechada de Energias ou Mobilização Básica de Energia (MBE)

. é o controle consciente dos movimentos energéticos dentro de você mesmo, da sua cabeça até os seus pés e mãos, e o retorno à sua cabeça.

. dentre as utilidades do controle da circulação fechada de energias, dentro do seu próprio organismo humano e seus demais corpos sutis, destacam-se:
- instalar o estado vibracional, condição que predispõe a decolagem até consciente da sua consciência projetada através do psicossoma;
- motivar você intensamente, dando-lhe confiança de usar as próprias energias e permitir-lhe distinguir as energias externas que você recebe;
- acelerar a sua própria digestão em ocasiões oportunas;
- sanar distúrbios orgânicos, mini-doenças, e pequenas indisposições;
- obter mil e um recursos conscienciais positivos, outros, facilmente, concebíveis por você ou qualquer pessoa;
- bloquear completamente as entradas de energias indesejáveis ao seu mundo interior; etc.

Prática. Pode-se fazer a energia circular, sem ser exteriorizada, da cabeça até os pés e dos pés até a cabeça, várias vezes, revertendo logo depois a manobra para a condição do estado vibracional intensíssimo, por todos os veículos de manifestação da consciência. Tal prática esteriliza vibratoriamente o ambiente, traz profundo bem-estar, disposição positiva, e autoconfiança à consciência intrafísica.

Estado Vibracional. Estado Vibracional ou simplesmente EV, é a condição na qual o duplo etérico e o psicossoma aceleram as vibrações a fim de escaparem às vibrações lentas do corpo humano, o que pode produzir a projeção da consciência por meio do psicossoma.


Extraído do livro “Projeciologia” de Waldo Vieira. Edição de 1990. Páginas 384-385.

Como posso evitar o assédio quando percebo que estou assediada?


. a primeira providência será no sentido de mudar o modo de pensar. Modificar o estado mental é arejar a mente, higienizando-se através de pensamentos sadios, otimista e universalistas;

. substituir as reflexões repressivas, mórbidas, que presumam tédio, solidão e tristezas por pensamentos contrários a estes estrados num exercício constate, que se renova a cada dia, aprendendo a olhar a vida com otimismo, gerando um clima interior que favoreça a aproximação de amparadores espirituais;

. nos nossos pensamentos está o controle que dirige a nossa vida, encaminhando-a para determinado rumo; embora a mente venha a sintonizar com os pensamentos emitidos por outras pessoas, a vontade pode impor disciplina íntima, dirigindo e mantendo firmes os pensamentos na direção do bem (pág. 73).


Alguns recursos que ajudam a afastar e a combater assédios eventuais (pág. 79):

1. Higiene mental (autodisciplina);
2. Vigilância disciplinada (a pessoa tem que aprender a se organizar);
3. Meditação ou reflexão sentida e pensada profundamente;
4. Confiança na assistência de amparadores;
5. Entrar imediatamente em contato com a realidade, análise racional e lógica dos fatos e acontecimentos;
6. Manutenção de pensamentos positivos e otimistas;
7. Manutenção do equilíbrio perante todas as circunstâncias; linearidade energética;
8. Através da projeção consciente, fazer a confrontação extrafísica ou auto-enfrentamento direto;
9. Atenção e boa vontade em empreendimentos;
10. Conversar sobre o que o incomoda com outras pessoas;
11. Fazer uma revisão diária do comportamento;
12. Relacionamento afetivo maduro e conseqüente;
13. Relacionamento social saudável.

Extraído do livro “Projeção da Consciência – Uma Ferramenta Evolutiva” de Moisés Leão Esagüi. Edição de 2003.

Quais são os fatores que atraem os assediadores?

. comportamento imaturo ou relacionamentos desequilibrados ou conflituosos;

. emocionalismos de natureza diversa, envolvendo a lembrança de outras pessoas;

. mágoas, ranços e melindres reprimidos ou mal resolvidos;

. contatos sexuais negativos, físicos extrafísicos ou por pensamentos;

. pensamentos de aversão ou conflito com franca referência à outra pessoa;

. evocações conscientes ou inconscientes de consciências do extrafísico ou até mesmo do intrafísico que são carentes energeticamente;

. cultivo à culpas, idéias fixas, crenças, profecias ou condições repressivas em razão de preconceitos, fanatismo religioso ou condições psicológicas erradas;

. as ações assediadoras são executadas por atuações diretas ou indiretas sobre outros indivíduos próximos ou entes queridos, no ponto fraco parapsóquico, psicológio ou físico-orgânico do indivíduo, no estado de vigília física ordinária ou durante a condição de sono natural;

. além disso, os assediadores sempre procuram pessoas que tem padrão de energias vinculados aos chacras mais baixos, porque geralmente estes são os chacras das emoções e das energias mais densas que o ser humano pode produzir, energias estas mais próximas do mundo físico (pág. 71).

. assédio eventual pode também ser chamado de devaneio, é a mais comum das influências assediadoras sobre as consciências intrafísicas ou o assédio pesadelar. O pesadelo no estado da vigília física, ou seja, o devaneio negativo, o sonhar acordado, trazendo sensações de grande desconforto e tortura mental, idéia fixa em alguma coisa ou em alguém.

. a idéia fixa nos pensamentos negativos, se infiltra e se aninha disfarçadamente na cabeça das pessoas, gerando conseqüências espirituais, emocionais e físicas, ou seja, tornando o quadro muito mais grave do que na verdade é.


Extraído do livro “Projeção da Consciência – Uma Ferramenta Evolutiva” de Moisés Leão Esagüi. Edição de 2003 (pág 76-78).

Sinaléticas de Alerta

Relativos ao comportamento humano em relação aos assédios:

Humor lábil – O estado íntimo característico, emocional, de humor oscilante, ora feliz, ora irritado ou mau humorado, patrocínio inequívoco de consciências assediadoras. O humor muda sem motivo aparente. O indivíduo procura imediatamente algo ou alguém para justificar seu comportamento. É uma situação em que o assédio normalmente já tem algum controle, conhece bem a vítima.

Agressividade/Irritabilidade – Situação emocional agressiva e que pode não ter ciclos, como acontece no caso anterior; o indivíduo está sempre nervoso. É uma irritação surda, gratuita e silenciosa sem nenhum motivo aparente. Foge ao comportamento racional e apresenta aquelas características analisadas anteriormente com relação ao comportamento agressivo.

Sensação de desastre ou acidente – Devemos dar atenção quando, sem motivo aparente, começamos a sentir ou ter a impressão de que algo negativo vai acontecer. Quando se tem uma sensação de angústia e agonia, não justificada por acontecimentos concretos à nossa volta, deve-se ficar atento.

Reflexos físicos – Dores nas costas, dor de cabeça, arrepios na espinha, ‘bolo” no estômago, tonturas, sensação de que se tem uma placa colada na testa, pressão na cabeça (parte posterior, nas têmporas, nuca, etc), frio na barrida, formigamento, calor, frio em qualquer parte do corpo, embassamento visual, perda auditiva emporária, zumbido nos ouvidos podem ser sinaléticas de acompanhamento indesejável.

Questionamento. Qualquer pessoa que começa a questionar a sua própria saúde mental deve procurar ajuda profissional, ajuda essa não só de psicanalistas, psicólogos ou terapeutas, mas também procurar pessoas espiritualizadas e esclarecidas, dedicadas ao tratamento de pessoas assediadas.

Isenção. Nenhuma consciência física ou extrafísica, independente do seu nível sociocultural ou estágio evolutivo está isenta da condição de assédio / desassédio; a diferença de uma pessoa mais evoluída de outra com pouca ou nenhuma evolução é que a evoluída tem a capacidade de ver ou sentir a presença dos assediadores, podendo assim, sem adrenalina, interromper o processo de assédio e, com comportamento, conhecimento e trabalho orientar o assediador.

Extraído do livro “Projeção da Consciência – Uma Ferramenta Evolutiva” de Moisés Leão Esagüi. Edição de 2003. Páginas 80-81.

Como posso evitar o assédio quando percebo no outro?

. a melhor atitude é se afastar (mesmo sendo uma pessoa de que gostamos muito como pais, irmãos, familiares ou amigos); no momento é a atitude mais sensata, até porque esta pessoa assediada, provavelmente, estará lhe fazendo lamentações ou falando de seus problemas atuais.

. outra atitude correta é começar a circular energia (vou publicar aqui como se faz isso) e com essa circulação, você impedirá que o assediador acople em sua aura, impossibilitando-o de sugar as suas energias.

. os nossos pensamentos podem ser grandes aliados, mas também pode ocorrer o inverso, nossos pensamentos podem se tornar nossos inimigos, abrindo as portas para os assediadores.

. às pessoas que neste momento padecem de ataques assediadores, deve-se esclarecer o quanto é essencial a sua própria participação na tarefa de afastar este assédio e que delas mesmas dependerá, em grande parte, o êxito ou insucesso de alcançar o objetivo.

Existem condições ou reações que denunciam claramente a influência característica e atuante do assediador:

Predisposição a acidente. característica a certas pessoas que parecem que vivem sujeitas ou propensas a sofrer repetidos acidentes, seja no lar, no trabalho, na rua, nas estradas e até na hora do lazer (um jogo de futebol, vôlei, corridas matinais, etc);

Gosto. O gosto da pessoa agressiva por arruaças e a sua procura, aparentemente espontânea, de situações de conflito físico (brigas);

Impulso repentino e irresistível (raptus). O impulso que leva a pessoa a realizar atos, às vezes graves, como, por exemplo, perda total do controle emocional, fuga descontrolada, acesso de destruição, suicídio, pânico, ataque homicida (assassinato), etc;

Desejo insaciável de seduzir ou ter contato físico – o indivíduo não pode se conter quando vê alguém do sexo oposto – compulsão.

Obs.: na maioria dos casos, não sendo regra geral

Extraído do livro “Projeção da Consciência – Uma Ferramenta Evolutiva” de Moisés Leão Esagüi. Edição de 2003. Páginas 73 e 78.

Como posso perceber o assediador?

Se pararmos para pensar, veremos que, para nos desequilibrarmos emocionalmente, coisas muito pequenas tornam-se agentes poderosos que fazem balançar nossa aparente serenidade interior, levando-nos a estados visíveis de descontrole mental.

E, sobretudo, no cotidiano costumamos mascarar esses desequilíbrios e comportamentos disfuncionais de uma pessoa com o nome de "personalidade forte", "gênio forte", "caráter forte". Com essa desculpa, aceita e generalizada por outras pessoas, procuramos negar nossos desequilíbrios de caráter e comportamento, justificando nossa má formação íntima, o nosso mau humor, a ira, a maledicência e tantos outros procedimentos negativos. Tudo isso tem um nome, comportamento assediador, e não "Gênio Forte".

Não é apenas por nossas atitudes que atraímos assediadores; elas podem se acoplar a nós através de outras pessoas muito próximas a nós, até em pessoas que amamos ou nos amam muito.

Quando alguém do nosso meio (ou não) se aproxima para uma conversa, se estiver mal acompanhada (existem sinaléticas que podem indicar se tem algum assediador acompanhando) repentinamente aparece uma sensação de desconforto. Essa é uma das sinaléticas. Existem outras, como por exemplo: - Bocejos em excesso, sono, mau humor, dor de cabeça, pressão na testa ou na nuca, arrepios, enjôo, dor nas costas, "peso" nos ombros, mudança repentina de humor, medos e receios inexplicáveis e repentinos, chorar à toa sem motivo aparente, etc.


Recursos Anticosmoéticos:


1. Transfigurações do psicossoma aparentando alguém conhecido e respeitado pela vítima com ascendência moral, afetiva ou intelectual;
2. Sugestões hipnóticas deprimentes sobre os pontos frágeis e conteúdos emocionais como, por exemplo, as auto-culpas inconfessadas ou segredos mais obscuros de uma personalidade;
3. Criação de atmosferas de sadismo para as vítimas eventuais;
4. Elaboração detalhadas de pesadelos artificiais envolvendo situações que confundem e desorganizam os pensamentos da vítima;
5. Evocações de situações “gostosas” de devaneios sexuais ou afetivos anticosmoéticos;
6. Sugestão de situações de “levar vantagem” sobre outrem.

Extraído do livro “Projeção da Consciência – Uma Ferramenta Evolutiva” de Moisés Leão Esagüi. Edição de 2003. Páginas 72 e 77-78.

Posso estar assediada mesmo me sentindo feliz?

O assediador sempre ilude. Ele sempre vai dar um momento de felicidade para a sua vítima, só que essa felicidade será só aparente, será um recurso para distrair antes do golpe final.

Uma coisa se pode ter certeza, que esse presente dado pelo assediador cedo ou tarde será cobrado.

As influências são sutis e levam a pessoa visada a procedimentos dos quais se arrependerá, provavelmente, quando conseguir refletir com algum equilíbrio.

Não damos, às vezes, nenhuma importância aos nossos estados emocionais, que geralmente oscilam bastante.


Extraído do livro “Projeção da Consciência – Uma Ferramenta Evolutiva” de Moisés Leão Esagüi. Edição de 2003. Páginas 71-72.

O que devo fazer para me livrar do assediador?

A partir do momento que essa pessoa passa a ficar mais espiritualizada e esclarecida e começa a trabalhar com os chacras mais altos (coronário, frontal, laríngeo e cardíaco), os assediadores com certeza começam a se afastar.

Assediadores não gostam de pessoas esclarecidas, que estudam, lêem, que são positivas, que dominam seu ego; resumindo, eles não gostam de pessoas que passam a cuidar apenas de assuntos felizes e produtivos.




Extraído do livro “Projeção da Consciência – Uma Ferramenta Evolutiva” de Moisés Leão Esagüi. Edição de 2003. Página 71.

Como identifico quando estou assediado?


Uma pessoa muito irritada, que passa por momentos de ira, que se descontrola com facilidade, que começa a ter manifestações de várias doenças sem motivo aparente, ou se essa pessoa passa a ter desequilíbrios diversos, tanto na sua vida afetiva como na financeira ou familiar, desequilíbrios estes que começam sem mais nem menos ou sem alguma explicação lógica, essa pessoa com certeza está passando por um forte processo de assedialidade. E passa a ficar mais grave se a pessoa não souber reconhecer este problema, ou pior, se não enfrentá-lo com seriedade e calma ou ainda fingir que tudo está bem, não aceitando ajuda, deixando que seu Ego tome conta da situação.

Eis aí um grande problema do ser humano, seu "Ego". Pessoa de ego muito elevado são grandes geradoras de assédio. O "egão" é uma das principais portas de entrada para um assediador.

Os assediadores sempre procuram pessoas que tem padrão de energias vinculados aos chacras mais baixos, porque geralmente estes são os chacras das emoções e das energias mais densas que o ser humano pode produzir, energias estas mais próximas do mundo físico.

O problema é que o assediador pode se apresentar de tal forma, tal a sutileza, que não é detectado com facilidade, passando muitas vezes inteiramente despercebido.

Temos de dar mais importância aos nossos estados emocionais, que geralmente oscilam bastante.

CARACTERÍSTICAS DE UMA CONSCIÊNCIA ASSEDIADORA:

1. Ser uma consciência primitiva ou média;
2. Não compreender sua situação evolutiva;
3. Ser uma consciência psicótica, esquizofrênica, neurótica, obsessiva-compulsiva, depressiva, etc;
4. Ser contraditório quanto a si mesmo, autocorrupto, conveniente;
5. Praticar o auto-engano;
6. Viver o desespero de emoções imaturas e contraditórias;
7. Ser lúcida quanto a anticosmoética em que vive ou o mau caratismo;
8. Ter ou não qualquer ligação pessoal com a vítima de seus assédios;
9. Desejar continuidade, na dimensão energética, de alguma atividade praticável apenas na dimensão física e utilizando-se da vítima para realizá-la;
10. Ansiar compartilhar emoções humanas ou ainda animalizadas da vítima desencaminhando-a para algum vício (drogas, crimes ou mau hábito);
11. Satisfazer-se com brincadeiras primárias de mau gosto ou de humor doentio, próprios da idade consciencial primária, causando transtornos e dificuldades;
12. Indução, através do ódio, raiva ou ciúmes; prejudicar física e mentalmente a vítima, podendo levá-la inclusive ao suicídio;
13. Carências energéticas: através do amor egoísta, tentar o regresso da vítima à dimensão não física a fim de satisfazer-lhes as próprias carências energéticas;
14. Falsa ajuda: Através de aparente ajuda, induzir a vítima para as suas conveniências;

Extraído do livro “Projeção da Consciência – Uma Ferramenta Evolutiva” de Moisés Leão Esagüi. Edição de 2003. Páginas 71-72 e 74.

O que é um assediador?

É toda consciência que influencia negativamente o outro por um motivo qualquer, seja por indução ao devaneio, medo, erro, mal-estar, sugestão ou influência negativa e desestabilizadora ou coação, com objetivo de domínio da vontade, processo esse que se repete continuamente intra ou extrafisicamente, trata-se de um assediador.

O assediador pode ser consciência intrafísica ou extrafísica, um amigo, um membro da própria família, pode ser homem ou mulher, pode ser uma criança, isso na forma física ou extrafísica.

Assédio é sempre uma relação disfuncional entre consciências. Um sistema de paranóia entre duas ou mais consciências, em que um é ativo e o outro é passivo. Um tenta dominar a vontade e controlar as energias conscienciais do outro e o outro permite por ignorância, medo ou co-dependência.

CARACTERÍSTICA SINTOMATOLÓGICAS DE UM ASSÉDIO:

1. Desatenção
2. Mau-humor
3. Devaneios negativos
4. Tosse
5. Agulhadas
6. Coceiras
7. Cócegas
8. Dor de estomago
9. Peso nas costas
10. Sensação de que o ambiente está tenso
11. Raiva
12. Ódio
13. Agressividade
14. Não conseguir engolir
15. Areia nos olhos
16. Movimentos nervosos com as mãos ou pernas
17. Dificuldades para se movimentar
18. Dores não diagnosticadas
19. Planas na testa
20. Peso na nuca
21. Tremedeira
22. Reclamação constante e interminável
23. Dor no braço
24. Fraqueza nas pernas
25. Olhos vermelhos
26. Secura na boca
27. Hipocondríaco
28. Calafrios
29. Formigamentos desconfortáveis
30. Pesadelos e mal estar na hora de dormir
31. Suor e coriza constantes, inexplicáveis do ponto de vista físico
32. Estado de autodefesa constante
33. Sensação de que sempre está fazendo as coisas de forma errada
34. Sentimento de culpa inexplicável
35. Medo, insegurança sem motivo real (devaneios)
36. Dificuldade para relacionamento íntimo
37. Falta de energia para produzir orgasmos sadios
38. Sensação de estar sendo perseguido ou observado
39. Pressão nas têmporas
40. Roubo de orgasmo

Obs.: Um ou mais destes sintomas não quer dizer que uma pessoa esteja passando por processo de assedialidade. Cada caso é um caso e precisa ser analisado com bom senso e discernimento.


Extraído do livro “Projeção da Consciência – Uma Ferramenta Evolutiva” de Moisés Leão Esagüi. Edição de 2003. Páginas 70-71; 75; 83-84.

Definições: Saída do corpo físico - Psicossoma e Cordão de Prata

Projeção

Projeção da Consciência é a capacidade que todo ser humano tem de projetar a sua consciência para fora do corpo físico. Essa experiência tem recebido diversas nomenclaturas, dependendo da doutrina ou corrente de pensamento que a mencione: Viagem Astral (Esoterismo), Projeção Astral (Teosofia), Experiência Fora do Corpo (Parapsicologia), Desdobramento, Desprendimento Espiritual ou Emancipação da Alma (Espiritismo), Viagem da Alma (Eckancar), Projeção do Corpo Psíquico ou Emocional (Rosacruz), Projeção da Consciência (Projeciologia), etc.
É sabido, desde a mais remota antigüidade, que a "Experiência Fora do Corpo" é um fato, envolvendo técnicas nítidas de cunho científico. Porém, devido ao desconhecimento sobre o assunto, grupos desinformados geraram fantasias sobre os "perigos" que envolveriam o processo, aliás inexistentes. Desse desconhecimento advieram reservas e idéias errôneas, ficando o assunto restrito à uma minoria com pseudo controle e domínio de suas técnicas e conseqüências.

Psicossoma
O Psicossoma pode ser definido como contraparte extrafísica do corpo físico, ao qual se assemelha e com o qual coincide minuciosamente, parte por parte. É uma réplica exata do corpo físico em toda a sua estrutura.
O psicossoma é constituído de matéria astral, que vibra numa freqüência mais sutil e é infinitamente mais refinada do que a matéria física que constitui o corpo físico. É normalmente invisível e intangível ao olhar e toque físicos.
O psicossoma coincide com o corpo físico durante as horas em que a consciência está totalmente desperta. Mas, no sono, os laços que mantêm os veículos de manifestação unidos se afrouxam e o psicossoma se destaca do corpo físico. Essa separação é que constitui o fenômeno da projeção astral.
Normalmente, o psicossoma, quando projetado além do físico, mantém a forma daquele corpo, de modo que o projetor é facilmente reconhecido por aqueles que o conhecem fisicamente. Ele também é denominado de corpo astral, perispírito, duplo astral, corpo fluídico, etc. O psicossoma é ligado ao corpo físico por um apêndice energético conhecido como cordão de prata.

Cordão de Prata
O psicossoma é ligado ao corpo físico por um apêndice energético conhecido como cordão de prata, através do qual é transmitida a energia vital para o corpo físico, abandonado durante a projeção. Em contrapartida, o cordão de prata também conduz energia do corpo físico para o psicossoma, criando um circuito energético de ida-e-volta. Esse interfluxo energético mantém os dois veículos de manifestação em relação direta, independentemente da distância em que o psicossoma estiver projetado. Enquanto os dois corpos estão próximos, o cordão é como um cabo grosso. À medida que o psicossoma se afasta das imediações do corpo físico, o cordão torna-se cada vez mais fino e sutil.
O cordão de prata também tem recebido diversas denominações: cordão astral, cordão fluídico, fio de prata, teia de prata, cordão luminoso, cordão vital, cordão energético, etc.
Um dos medos básicos do iniciante é o de que o cordão energético venha a se partir durante a projeção, acarretando, assim, a morte do corpo físico. Tal medo é infundado, pois isso não acontece. Por mais longe que o projetor estiver, o cordão de prata sempre o trará de volta para dentro do corpo físico. Também é impossível o projetor se perder fora do corpo ou não querer voltar ao físico. Para voltar, basta pensar firmemente no seu corpo físico e o retorno se dará automaticamente. É nesse instante que muitos projetores têm a sensação de queda e acordam assustados no corpo físico.
O cordão de prata é um feixe de energias, um emaranhado de filamentos energéticos interligados. Quando ocorre a projeção, esses filamentos energéticos, que estavam embutidos em toda a extensão do corpo físico, projetam-se simultaneamente de todas as partes dele e se reúnem, formando o cordão de prata. Os principais filamentos energéticos são aqueles que partem da área da cabeça.

Fonte: Pesquisadores de grande vulto como Wagner Borges, Waldo Vieira, Sylvan Muldoon, Hereward Carington, Robert A. Monroe, entre tantos outros nacionais e internacionais, em vasta bibliografia.

** Projeção Consciente e o Sonho **


Efeitos – São 11 efeitos do estado do sono e dos sonhos:
1. Alucinações extrafísicas
2. Associações estranhas às realidades extrafísicas
3. Criações da imaginação
4. Dados suplementares malpostos
5. Excrescências de interpretações incorretas de eventos extrafísicos
6. Libertação das tensões diurnas
7. Mascaramentos mentais
8. Molduras psicológicas
9. Pesadelos inconseqüentes
10. Reflexos fisiológicos e orgânicos
11. Sonhos intercorrentes

Sons – Os sons do ambiente podem, as vezes, tornar parte de um sonho.
Racionalização – A tendência do acúmulo das experiências com as projeções conscienciais lúcidas é tornar os sonhos mais racionais e menos aparentemente incoerentes, permitindo que o julgamento crítico da consciência acabe deixando esta de descobrir sonhando, minimizando os percalços oníricos do sonho ou mesmo anulando em parte o sonho pouco a pouco, saindo a consciência do corpo humano através de uma projeção consciencial lúcida comum.
Complexidade – As projeções conscienciais lúcidas, por mais evoluído que seja o projetor humano, não excluem as ocorrências naturais da elaboração inconsciente de morfopensenes, sonhos comuns, pesadelos, devaneios, hipnagogias, hipnopompias, projeções inconscientes, projeções semiconscientes e outros estados alterados da consciência, cuja vida intra-subjetiva não pára, sendo, por isso, sempre complexíssima.

Relação – Os morfopensenes gerados inconscientemente e os sonhos comuns têm íntima relação entre si, com a força da imaginação do ego, com as imagens vivenciadas ou mesmo fixadas sem se prestar muita atenção, nas últimas horas de experiências da conscin, e estocadas no banco de dados consciencial, ou seja, dos fatos da vida, recentíssima do gerador de morfopensenes (formas-pensamento) do sonhador e do imaginador, que constituem, em última análise, uma só pessoa. Tais fatos tornam-se elementos importantes para o projetor que deseja analisar e distinguir exatamente as suas experiências projetivas dos produtos gerados por sua elaboração de pensamentos, sejam os morfopensenes ou os sonhos comuns.

Bibliografia: Waldo Vieira – Projeciologia – Capítulo IV – Estados Alterados da Consciência

** Teoria do Vácuo Evolutivo **

Período em que o corpo humano se refaz biologicamente pelo sono natural, e a consciência intrafísica também dorme sem experimentar vivências extrafísicas lúcidas.

Sono – como estado alterado da consciência, o sono constitui uma das mais anuladoras e aparentemente inúteis condições conhecidas pelas quais passa a conscin. Por exemplo: os fenômenos parapsíquicos com o ego podem sobrevir durante o período do sono do corpo humano, porque o soma não é a consciência. São realidades distintas.

Adormecimento – sonhos lúcidos e intuições, as pessoas em sua maioria, não experimentam provavelmente nem 10% das suas potencialidades anímicas, parapsíquicas e projetivas lúcidas que permanecem adormecidas e se anulam, juntamente com o corpo humano, durante a fase diária do sono natural.

Perdas – As perdas geradas durante os períodos diários do sono, destacam-se o emprego das faculdades fundamentais da personalidade:
1. Vigilância
2. Consciência reflexiva superior
3. Autoconcentração consciencial
4. Atenção
5. Racionalidade
6. Julgamento crítico (autocrítico e herocrítico)
7. Imagística
8. Memória

Análise – A condição dos períodos existenciais diários e intrusivos, pode ser interpretada como uma espécie de vácuo.
1. Vácuo consciencial diário
2. Vácuo da inutilidade impressentida
3. Vácuo da vigilância (ou invigilância)
4. Vácuo das percepções (ou das parapercepções)
5. Vácuo da autoconsciência (ou da inconsciência)
6. Vácuo do desperdício rotineiro.
7. Vácuo da experiência (ou da inexperiência)
8. Vácuo de hibernação consciencial relativa
9. Vácuo de perda pessoal definitiva
10. Vácuo evolutivo
11. Vácuo fisiológico (ou parafisiológico)

Atividade – Nada, até o momento, evidencia de modo definitivo que a consciência intrafísica necessita de 5 condições:
1. Dormir – O soma precisa de repouso celular ou das redes interneuroniais
2. Inércia – De fases de incapacidade, inércia ou inatividade acentuadas.
3. Despercepção – De uma supressão periódica da autopercuciência ou atividade perceptiva.
4. Hibernação – Hibernação pessoal ao modo de muitos animais.
5. Vacuidade – Vacuidade consciencial diária

Mutabilidade – O próprio corpo energético da consciência, por exemplo, a aura humana, não pára, apresentando extrema mutabilidade em suas manifestações e pulsações incessantes. O mesmo acontece com a consciência em si, sempre ativa.

Autoconsciência –O agente causal insubstituível para o preenchimento maior dos períodos diários de vácuo evolutivo do sono humano é a autoconsciência extrafísica. Tal fato se dá pela retomada da lucidez imediatamente após a descoincidência dos veículos de manifestação da conscin, em outra dimensão consciencial.

Permanente – A autoconsciência extrafísica é também o primeiro passo para a condição da autoconscientização multidimensional permanente, uma das metas básicas da Projeciologia, que permite ser alcançada, ao praticante motivado – homem ou mulher – por sua própria vontade.

1. Projeção – Fornece técnicas para o praticante substituir um estado alterado da sua consciência, aparentemente inútil, o sono, por outro estado alterado da sua consciência, muito mais enriquecedor, a projeção consciencial lúcida. Esta é uma das utilidades projeciológicas pessoais. O soma fica parcialmente inerte durante o sono. A consciência, no mesmo período, se desperta e vivencia experiências transcendentes.
2. Contínua – Mais adiante, em fase avançada, indica os métodos para a conscin promover, alcançar e viver gradativamente o estado da autoconsciência contínua, ou a existência intrafísica com a vigília ininterrupta.

Existem ocorrências fisiológicas ou patológicas, curtas ou prolongadas, menos freqüentes da conscin, similares ao vácuo do sono natural, por exemplo estas 6:
1. A ausência epiléptica (petit mal)
2. A lipotímia (desmaio)
3. O trauma craniano (concussão cerebral)
4. A lesão encefálica
5. O estado do coma superficial (comatose). Coma 1 ou leve, em relação ao Coma 2 (coma propriamente dito), Coma 3 (profundo), e Coma 4 (morte cerebral).
6. O sono pós-dessomático ou reparador da conscin que retorna a ser consiex.

Conteúdos – Em algumas dessas condições sobrevêm períodos de vácuos conscienciais evolutivos, contudo apresentam maiores conteúdos, fatores causais ou desencadeantes definidos e, sendo eventuais, não chegam a ser tão intrusivos e abrangentes na marcha ascensional, evolutiva, da consciência.

Waldo Vieira – Projeciologia – Capítulo IV – Estados Alterados da Consciência (pags. 206 a 208)

** Projeção Consciente e o Sono **


O sono é o mais poderoso organizador da fisiologia do corpo físico e da vida humana do indivíduo. Ninguém escapa a esse imperativo. Necessidade natural, mas é também um tafo cultural e um rito.

Minimorte – O estado do sono natural, sem projeção consciencial, é a primeira e verdadeira minimorte.

Interleucina – Uma descoberta sobre o sono informa que o Fator s, parte de um grupo de elementos químicos, pode provocar o sono, regular a temperatura e estimular o sistema imunológico do organismo.no final do processo de funcionamento ocorre a liberação da interleucina, substância que provoca o sono e estimula o sistema imunológico.

Imunologia – O sono permite que o sistema imunológico se recupere dos desafios ambientais enfrentados durante o estado da vigília física ordinária do indivíduo em atividade.

Funções essenciais do sono:
1. Desintoxicação - Desfaz a intoxicação celular do corpo humano
2. Mudanças – Desencadeia mudanças físicas, químicas, hormonais e musculares
3. Proteção – Mantém o ser humano longe de danos
4. Energia – Renova a vitalidade da energia do holochacra (paracorpo energético) e do psicossoma (paracorpo emocional)
5. Percepções – Libera as percepções da consciência através da descoincidência dos seus veículos de manifestação.

A qualidade do sono é mais importante do que a sua quantidade

Projetor – A consciex, o ser intrafísico na condição da coincidência dos seus veículos de manifestação (2 veículos: psicossoma e mentalsoma), e a conscin projetada (4 veículos) quando descoincidente podem dormir diferentes categorias de sono.

Soma – Em certas oportunidades, acontece que o corpo físico (soma) dorme (vegetaliza) sem a consciência e a consciência projetada dorme perto ou longe do corpo físico, ao mesmo tempo.

Consciexes – O sono do projetor durante o despreendimento consciencial, à distância, quando o cordão de prata ou as conexões energéticas estão distendidas, além das proximidades do corpo humano, ou mantendo-se na circunferência mínima de distensão do cordão de prata, na maioria dos casos é assistido por alguma consciex, inclusive pelos amparadores.

Autotelecinesia – Os movimentos físicos involuntários, inconscientes e quase imperceptíveis do dormidor, durante a condição de adormecimento ou sono, de modo geral constituem reflexos dos movimentos idênticos de ondulações do psicossoma semi-exteriorizado ou totalmente exteriorizado, porém na condição de instabilidade, próximo ao corpo humano, e podem ser considerados ocorrências de mini-autotelecinesias amenas.

Bibliografia: Waldo Vieira – Projeciologia – Capítulo IV – Estados Alterados da Consciência

** Paralelos entre Devaneio e Projeção Consciente **


Diferenciais:
1. Coincidência – Na condição de devaneio, a conscin sabe que está dentro ou coincidente com o corpo humano, no estado da vigília física ordinária. Na condição da projeção consciencial lúcida, a conscin sabe e sente que está fora do corpo humano ou descoincidente, podendo até ver o corpo denso à sua frente (fenômeno da bilocação).
2. Formas – Surgem substratos menos densos de origem física, tangíveis ou papáveis, como cenários da sucessão de imagens mentais. Na projeção consciente que se desenrola ainda em distritos físicos, e mesmo em certos ambientes extrafísicos troposféricos ou crosta-a-crosta, há tangibilização incontrovertível de formas físicas e extrafísicas, formas-pensamento ou morfopensenes muito mais densos.
3. Natureza – O devaneio é uma condição consciencial bem mais onírica do que projetiva. A própria consciência distingue a grande projeção consciencial lúcida, em todos os sentidos, dos estados conscienciais do sonho, do pesadelo e do devaneio.
4. Clarividência – As manifestações do devaneio se aproximam em parte das manifestações da clarividência viajora, porém esta apresenta enredos mais nítidos nas vivências e extrapolam a simples elaboração mental inconseqüente da consciência humana.

Ascensional – A condição de devaneio mostra-se tão diferente da condição da projeção consciencial que chega a constituir também um processo para a consciência se projetar a partir do corpo humano, denominado devaneio ascensional ou devaneio dirigido. Tal técnica se baseia no ato de a conscin, no estado da vigília física ordinária, se imaginar saindo do corpo humano e se elevando através do espaço, com a ajuda da respiração rítmica, após a preparação através do devaneio.


Bibliografia: Waldo Vieira – Projeciologia – Capítulo IV – Estados Alterados da Consciência

** Projeção Consciente - xenofrenia **


Estados Alterados da Consciência – Podem surgir em qualquer um dos 3 estados: Estado Intrafísico, Estado Extrafísico e Projetado.

Atuação: Na intuição científica; na inspiração poética e no êxtase místico-religioso.

Predominância: Surgem em razão da predominância de um dos seus atributos e ocorre de modo extremamente rápido, ou instantâneo, conforme as nossas impressões quanto ao tempo cronológico.

1. Vontade – nos estados de físico e extrafísico da consciência vígil, lúcida, a vontade predomina sobre os demais atributos conscienciais.
2. Raciocínio – no julgamento crítico, o raciocínio subjuga a imaginação.
3. Imaginação – No estado hipnagógico, imaginação e vontade substituem o raciocínio.
4. Memória – No fenômeno da retrocognição, a profundidade da memória mais remota, ou memória integral, holomemória, substitui a vontade.
5. Inconsciente – No estado de sonho natural, comum o inconsciente – tão desconhecido arquivo morto da consciência – substitui a vontade.
6. Precognição – o parapsiquismo (animismo ou percepção extra-sensorial) substitui a memória vígil ou do estado da vigília física ordinária.
7. Animismo – A vontade própria da consciência predomina sobre a influência da vontade das inteligências ou consciências externas.
8. Parapsiquismo – A consciência do sensitivo se apassiva à vontade de outrem – consciex ou conscin projetada – que toma o lugar da sua própria vontade, ainda mesmo com a ajuda de outra consciex, no caso, amparadora ou mesmo guia cego do sensitivo.

Tipos que podem ser confundidos com projeção consciente:
1. Alucinação
2. Auto-hipnose ou auto-sugestão
3. Auto-assédio ou obcecação (autocorrupção)
4. Catalepsia
5. Consciência dupla
6. Consciência tripla
7. Continuidade e/ou descontinuidade da consciência
8. Devaneio ou sonho acordado dirigido
9. Experiência psicodélica
10. Hipnagogia ou estado semidesperto.
11. Hipnopompia
12. Meditação
13. Pesadelo
14. Sonambulismo extrafísico
15. Sonho comum
16. Sonho lúcido ou projeção semiconsciente (PSC)
17. Transe hipnótico
18. Transe parapsíquico

Compreender os estados xenofrênicos é compreender a projeção lúcida da consciência.

Critério - O Projetor(a) intrafísico há de procurar um critério próprio para distinguir os estímulos heteropsíquicos, ou provenientes dos mundos exteriores, o físico e o extrafísico em geral, dos estímulos autopsíquicos, ou de origem interna, e evitar a confusão possível entre aquilo que a sua consciência percepciona, de fato, e o que não passa de representações suas, sejam: alucinações, devaneios, morfopensenes, pesadelos ou sonhos.


Bibliografia: Waldo Vieira – Projeciologia – Capítulo IV – Estados Alterados da Consciência (pags. 202)

** Projeção Consciente e o Devaneio **


Enredo fantasioso criado pela imaginação durante o estado da vigília física ordinária da consciência humana ou conscin. Pensamentos originários inteiramente da consciência.

Criatividade – Toda idéia criativa começou com uma fantasia.

Distinções – Com o acúmulo das experiências, em especial com as projeções conscienciais em série, o projetor racionaliza e define claramente, para si mesmo, os caracteres diferenciais entre 5 categorias de vivências oníricas:
1. Projeção – A projeção consciente e o sonho comum de vôo e de queda
2. Fisiologia – O sonho de origem orgânica ou a fisiologia do soma.
3. Autobiografia – O sonho histórico ou de enfoque de uma passagem de sua própria história pessoa, ou autobiografia.
4. Pesadelo – O pesadelo ou sonho com a predominância de um fator angustiante.
5. Vigília – O devaneio ou fantasia onírica engendrada ainda no estado da vigília física ordinária, onde não surgem sintomas fisiológicos especiais.

Análise – O projetor experiente distingue perfeitamente, para si mesmo, em certas circunstâncias conscienciais, não apenas o devaneio, ou seja: a livre associação de idéias com tendência de magnificar-se e justificar-se, das projeções conscientes, mas até que está experienciando um sonho ou pesadelo calcado em temas das suas projeções.

Minimização – O critério de análise da consciência se torna tão marcante que os estados alterados de tão definidos que ficam, acabam sendo minimizados e colocados cada qual no seu devido lugar, muitas vezes no instante mesmo em que se desenvolvem, diminuindo a sua importância ou eliminando-os em parte.

Técnica – Consiste em uma concentração de pensamentos positivos, nos quais a consciência intrafísica imagina, em minúcias, tudo aquilo que naquele momento a tornará a pessoa mais feliz do mundo. Nessa criação ou reconciliação mental, a vontade, a imaginação e suas criações fantasiosas, reúnem e introduzem, até os mínimos detalhes, tudo aquilo que venha a compor um mundo ideal para a personalidade ou, pelo menos, estas 7 variáveis vivenciais:

1. Local – O local mais maravilhoso do mundo
2. Tempo – As mais excepcionais condições do tempo meteorológico
3. Companhias – As mais desejadas companhias.
4. Vestuário – As vestes mais brilhantes ou o vestuário mais suntuoso
5. Acepipes – Os pratos culinários preferidos e julgados imperdíveis
6. Impressões – As impressões ou sensações pessoais prazerosas mais sonhadas.
7. Atmosfera – A materialização de um cenário e de uma atmosfera com todas as utopias mais almejadas na vida humana, em condições capazes de tornar a si mesma completa e definitivamente feliz.

Predomínio – Ao atingir aquele nível em que a consciência predomina sobre a matéria, a mentalização, ou concentração mental, alcança um grau tão profundo e intenso que acaba se tornando real e fazendo esta mesma consciência realmente feliz, afastada dos problemas íntimos e pressões diuturnas, trazendo com isso a auto-relaxação psíquica e muscular, a autoconfiança absoluta, e, de modo natural, o sono procurado, sem o uso de qualquer estupefaciente e sem excessivas perdas de tempo, energias conscienciais e dinheiro.

Bibliografia: Waldo Vieira – Projeciologia – Capítulo IV – Estados Alterados da Consciência (pags. 206 a 208)

**Projeção Consciente e o Sonho**


O sono é um conjunto de idéias ou seqüência de imagens mais ou menos coerentes.


Os pesquisadores demonstram, com segurança, que toda a pessoa adulta, em 8 horas de sono, sonha repetida e normalmente durante 4 a 5 períodos de 30 minutos. As pessoas parecem diferir fundamentalmente em termos de nitidez com o que recordam de seus sonhos.

Se você pensa que raramente ou nunca sonha, é porque você não se recorda (hipomnésia) dos seus sonhos, e não porque você não esteja passando pelas vivenciais oníricas, praticamente inevitáveis, a cada noite. (Os fetos e os bebês também sonham).

Atualmente procura-se abrir um novo campo para a pesquisa do sonho pela identificação da localização exata do chamado “centro do sono” no interior do cérebro humano, através do estudo das vítimas de explosões, feridas em campos de batalha, porque tais pessoas deixam de sonhar quando um estilhaço se aloja em sua massa cerebral, local onde se suspeita ser o “centro do sono”, aparentemente destruindo-o.

Efeitos decorrentes do estado do sono e dos sonhos:
1. Alucinações extrafísicas – percepção aparente de objeto externo não presente no momento; erro mental na percepção dos sentidos sem fundamento em uma realidade objetiva; experiência com as características da percepção através dos sentidos, mas sem estimulação sensorial evidente.
2. Associações estradas às realidades extrafísicas
3. Criações da imaginação
4. Dados suplementares malpostos
5. Excrecências de interpretações incorretas de eventos extrafísicos
6. Libertação das tensões diurnas
7. Mascaramentos mentais
8. Molduras psicológicas
9. Pesadelos inconseqüentes
10. Reflexos fisiológicos e orgânicos
11. Sonhos intercorrentes

Uma das teorias atuais é que os sonhos desmancham as redes neuroniais indesejáveis, evitando assim, sobrecargas que conduzem a eficiência do cérebro, na qualidade de máquina de processar dados, no período em que este órgão tem as suas principais funções desativadas.

Os símbolos são gerados pela tentativa de suprir a insuficiência do banco de memória física (biomemória) que não encontra paralelos nem símiles, em sua programação, daquilo que a consciência percebe na dimensão extrafísica.

A partir das experiências com as projeções conscienciais lúcidas é possível tornar os sonhos mais racionais e menos aparentemente incoerentes, permitindo julgamentos crítico da consciência acabe deixando esta se descobrir sonhando, minimizando os percalços oníricos ou mesmo anulando em parte o sonho pouco a pouco, saindo a consciência do corpo humano através de uma projeção consciencial lúcida comum.

Muitos projetores comparam a projeção lúcida com uma fotografia colorida, e o sonho comum s um foto preto e branco, o que, de fato, pouco caracteriza as realidades dos 2 estados alterados de consciência.

Por mais experiente que seja o projetor, não excluem as ocorrências naturais da elaboração inconsciente de morfopensenes, sonhos comuns, pesadelos, devaneios, hipnagogias, hipnopompias, projeções inconscientes, projeções semiconscientes e outros estados alterados da consciência, cuja vida intra-subjetiva não para.

Tipos de sonhos:
01. Sonho alto
02. Sonho bizarro
03. Sonho criativo
04. Sonho de advertência
05. Sonho de sobrevivência
06. Sonho dramático
07. Sonho excitante
08. Sonho gratificante
09. Sonho incompreensível
10. Sonho inventado
11. Sonho mau
12. Sonho monótono
13. Sonho mútuo
14. Sonho noturno
15. Sonho recorrente
16. Sonho vívido

Bibliografia: Lefebure (913, p.175), MacLaine (980, p.245), Rogo (14444, p.123), Steeiger (1601, p.217) e Vieira (1762, p.123).
Waldo Vieira – Projeciologia – Capítulo IV – Estados Alterados da Consciência (pags. 206 a 208)

**Experiências paranormais podem ser induzidas**


15/02/07

Vamos começar por uma notícia divulgada recentemente:

Experiências consideradas paranormais podem ser induzidas, de acordo com neurocientistas. Uma pesquisa revelou que elas ocorrem quando correntes elétricas suaves atingem uma certa área do cérebro, denominada gyrus angular. O estudo foi promovido pela Escola Politécnica Federal de Lausanne, na Suíça, e liderada pelo neurologista Olaf Blanke.

» Infográfico: os resultados da pesquisa
Em uma mulher que participou da pesquisa, os cientistas descobriram que um estímulo ao gyrus angular direito resultou numa sensação de que ela estava flutuando, olhando para o seu próprio corpo, logo abaixo. Em outra mulher, o mesmo estímulo, mas dessa vez atingindo o gyrus angular esquerdo, produziu um sentimento estranho de que havia alguém atrás dela.

A descoberta se deu por acaso. As duas mulheres sofriam de epilepsia e estavam sendo avaliadas para fazerem uma cirurgia no Hospital Universitário de Geneva. Os médicos colocaram dezenas de eletrodos em cada uma das pacientes para identificar as áreas do cérebro que apresentavam funcionamento anormal e as que deveriam ser evitadas durante a cirurgia, porque estão ligadas a funções como fala e audição, entre outras.

À medida que cada eletrodo era ativado, estimulando uma diferente região, a paciente era questionada sobre o que estava sentindo. Foi assim que os cientistas descobriram que o estímulo do gyrus angular causa sensações comumente chamadas de paranormais.


Publicada no dia 10 de fevereiro de 2007 • 20h03 • atualizado às 20h12 no site do Terra:
http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI1403696-EI8147,00.html