segunda-feira, 7 de maio de 2012

Acoplamentarium

Definição. O acoplamentarium é a base intrafísica ou laboratório multidimensional, assentado nas premissas do paradigma consciencial, tecnicamente preparado para potencializar as manifestações holossomáticas e os atributos conscienciais, principalmente o parapsiquismo, por intermédio da técnica do acoplamento energético.
Sinonímia:
  • Laboratório de interfusão energética.
  • Base intrafísica para o acoplamento energético.
  • Base técnica do acoplamentista.
Antonímia:
  • Ambiente de incompatibilidade energética.
  • Base técnica do projetor lúcido; projetarium.
  • Base técnica do tenepessista.
  • Antiacoplamentos energéticos.
Neologística. O termo acoplamentarium é neologismo técnico da Energossomática.
Objeto. Ao exteriorizar o fluxo de energias conscienciais, de modo autoconsciente, sob a impulsão da autodeterminação, a consciência materializa, igual a objeto concreto, a própria vontade. É o ato da concretude da volição pessoal. Tal ato é o maior fixador da autoconfiança. A vontade, nesse contexto, é novo instrumento, ferramenta ou membro maleável e prático para a conscin. O único problema, aqui, é a qualificação da natureza da intencionalidade.
Pioneiro. Sob a ótica da Paratecnologia, o acoplamentarium do Centro de Altos Estudos da Conscienciologia (CEAEC) é o primeiro laboratório técnico, especializado, inédito e pioneiro nos acoplamentos energéticos, interconscienciais, práticos, construído de modo específico. Começou a funcionar, grupalmente, na Terra, em 2003, sob a direção de epicon, homem ou mulher.
Especificações. Eis, resumidas em 10 itens e dispostas na ordem funcional, as especificações básicas do acoplamentarium:
  1. Pesquisas. O laboratório do acoplamentarium reúne as autopesquisas com as heteropesquisas, dentro das vivências pessoais e das vivências grupais do parapsiquismo desenvolvido em conjunto. Pode ajudar sobremodo na assistência cosmoética às consréus ressomadas.
  2. Consenso. O acoplamentarium permite estabelecer o consenso imediato sobre determi
  3. nado fenômeno extrafísico ou parafato. Depois de 100 consensos, começam a serem constituídos os princípios, além das hipóteses de tentativas e das teorias rudimentares, segundo o paradigma consciencial embasando a Conscienciologia.
  4. Isolamento. O isolamento da edificação do acoplamentarium proporciona aos experimentadores a anulação de interferências externas, em ambiente de silêncio próximo à Natureza. Além das energias imanentes, a Natureza oferece, de modo direto, as fontes do geoectoplasma, fitoectoplasma e zooectoplasma aproveitados para potencializar o desenvolvimento das práticas energéticas em grupo.
  5. Ambiente. No laboratório é feito o controle da temperatura, da umidade do ar e da luminosidade. A temperatura de 18 graus Celsius e o ambiente levemente obscurecido são condições facilitadoras da instalação, manutenção e desenvolvimento do campo energético, favorecendo as emissões de ectoplasma por parte das conscins.
  6. Anfiteatro. O anfiteatro, a forma característica do laboratório do acoplamentarium, com piso em rampa e emborrachado, possibilita a visualização do epicon, do coadjutor e dos outros participantes dos experimentos, e vice-versa.
  7. Recursos. Os objetos e as características do espaço físico determinados pela necessidade da técnica do acoplamento energético, elimina o dispensável ou as interferências negativas em relação à acuidade e ao desempenho dos experimentadores. Por exemplo, o aparelho de ar-condicionado mais silencioso facilita os diálogos e os esclarecimentos ocorridos entre os transes dos acoplamentos energéticos.
  8. Integração. Integrado ao campus de autopesquisas da consciência do CEAEC, o acoplamentarium faculta o contexto multidimensional favorável, otimizador, acolhedor e potencializador das experimentações parapsíquicas.
  9. Cadeiras. As cadeiras, por exemplo, foram tecnicamente posicionadas para garantir a visão do rosto do epicon ou do coadjutor a partir de todas as localizações ou posições dos assistentes no laboratório. As cadeiras estão fixadas para evitar mudanças e permitir maior segurança aos participantes ao se movimentarem.
  10. Banheiros. Os banheiros anexos evitam as saídas do laboratório e conseqüentes comprometimentos ou interferências externas nos experimentos.
  11. Participantes. O experimento no acoplamentarium é desenvolvido com até 63 participantes, incluindo o epicon, os monitores, o redator das experimentações, os doadores de energias, na condição de alunos, e o coadjutor, homem ou mulher, sentado na parte central do laboratório, durante a experimentação. O revezamento dos coadjutores proporciona a participação direta da maioria dos participantes durante as experimentações.
Antiacoplamentos. Eis, em ordem alfabética, na qualidade de exemplos a serem evitados, 12 posturas antiacoplamentares capazes de interferir no campo energético:
  1. Adormecimentos: o ato de dormir durante os experimentos.
  2. Adrenalina: o mais inteligente é trocar a adrenalina pela ectoplasmia. No acoplamentarium todos somos assistentes e assistidos.
  3. Antagonismos: o mau hábito de estabelecer metas pessoais diversas das propostas pelo experimento, atuando de modo antagônico às práticas em andamento. O desenvolvimento do parapsiquismo é dinamizado quando pensamos em ajudar os outros.
  4. Antecipações: a postura de tentar intimamente antecipar a programação das ocorrências. No acoplamentarium, grupal, é necessário cortar todo autopensene egocêntrico.
  5. Apriorismos: manter preconceitos ou idéias preconcebidas sobre os fenômenos.
  6. Autodefesas: os mecanismos de defesa do ego, dentre outras conseqüências, dificultam a doação de energias conscienciais. Na manifestação parapsíquica é necessário o experimentador entregar-se, intimamente, à condição da passividade consciente ativa, não tendo medo de nada. Esta é a dificuldade maior dos acopladores energéticos novatos, homens e mulheres.
  7. Devaneios: os sonhos acordados deslocados e inconvenientes. O estudo da grupalidade potencializa quem quer se adaptar tecnicamente ao acoplamentarium.
  8. Emocionalidades: as alterações emocionais tais como euforia, medo, expectativa e ansiedade interferem na racional idade, comprometem as vivências lúcidas e a interpretação lógica dos parafatos.
  9. Parafisiologia: o despreparo fisiológico ou parafisiológico do participante menosprezando a prática do estado vibracional profilático. O participante hostil às energias do acoplamentarium pode ficar o tempo todo encapsulado ali.
  10. Pretensões: alimentar a pretensão de estabelecer o acoplamento energético com algum outro experimentador fora da condição de epicon naquele determinado momento.
  11. Roupas: o melhor é sempre evitar as roupas coloridas. O branco das vestes funde com o branco do laboratório facilitando as parapercepções relativas à dimener.
  12. Taquicardia: a ansiedade, a impulsividade e a precipitação perturbam a pacificação íntima ideal para a auto-análise das sensações e parapercepções e a análise do desenvolvimento dos fenômenos e parafatos.

EIS O PRINCÍPIO TEÁTICO, BÁSICO E INDISPENSÁVEL DA CONSCIENCIOLOGIA:
1 DIA DE VIVÊNCIA DIRETA, PRESENCIAL, PARTICIPATIVA, VALE POR 100 DIAS DE TEORIZAÇÕES DO MELHOR PESQUISADOR.

Histórias. Nunca foi redigida a história da vida normal das pessoas comuns, componentes da Humanidade. Só se registrou, até hoje, a história dos destroços e vestígios dos homens e das mulheres notáveis. Nunca foi escrita a história da vida multidimensional das conscins. Só se registrou, até hoje, a história da humanidade nesta dimensão quadridimensional. A verdadeira liberdade começa pela abertura das portas das parapercepções. Eis o emprego do acoplamentarium.

Laboratório das Retrocognições

Ambiente predisposto ao estudo das retrocognições ou lembranças de vivências de vidas passadas e do curso intermissivo, em experimentos de 3h e 30min.
No laboratório há uma coleção de CDs de diversos países e culturas, abrangendo vários períodos da história humana. Para a realização do experimento, deve-se ouvir trechos dos discos até localizar um para a imersão em uma cultura ou época. Colocando o disco para tocar, a pessoa deve relaxar e imergir na música, deixando as lembranças aflorarem. Caso se tenha vivido no local ou época relacionada, podem advir sensações, imagens e pensamentos de caráter retrocognitivo, com a ativação da holomemória ocasionada pelo holopensene gerado pela música.
A comprovação das informações vem com a repetição dos experimentos. Também pode ser consultado o Jornal do Mundo, que contém fatos históricos da humanidade relatados em linguagem jornalística.
A recordação de fatos pretéritos possibilita a autoconscientização quanto à própria condição evolutiva, evitar a repetição de erros do passado, conscientizar-se quanto a saldos e débitos holocármicos, e a realização de resgates e assistências de caráter pluriexistencial, dentre outros.



Do passado ao futuro, um estudo multiexistencial!

Retrocognições, reurbanizações, precognições...
Você será um agente catalisador de todas estas 
experiências!

Anote na sua agenda e programe-se já: 
de 14 de outubro a 5 de novembro de 2012

• Itália, França e Portugal retrocognitivos;
• Finlândia: um olhar no futuro da Conscienciologia;
• Atividades no Campus IAC, o primeiro Campus 
da Conscienciologia fora do Brasil.

Informações: brasil@iacworld.org 

Laboratório da Tenepes

Laboratório preparado para a o estudo da tarefa energética pessoal (tenepes), em experimentos de 1h.

Laboratório. Laboratório preparado para o estudo da tarefa energética pessoal (tenepes), em experimentos de 1h e 30 minutos.

Técnica.

A tenepes é uma técnica proposta pela Conscienciologia que consiste na transmissão energética assistencial diária, com horário bem definido, em conjunto com uma equipe de amparadores técnicos no processo de assistência multidimensional, com duração média de 50 minutos.
Deste modo, pode-se estudar o processo multidimensional durante uma sessão de tenepes, obter insights sobre questões relativas à assistencialidade multidimensional, obter subsídios para o aperfeiçoamento das práticas da tenepes ou para compreender as posturas necessárias para começar a realizar a tenepes diária.

Experimento.
No laboratório, o experimentador deve acomodar-se na poltrona ou leito e apassivar-se física e mentalmente, possibilitando a atuação do amparador através de seu holossoma.

Aracê


Pesquisador. O laboratório pode ser utililizado mesmos por aqueles que não sejam praticantes da tenepes. Não se indica o laboratório para mulheres que utilizam DIU, conforme orientação de praticantes veteranos da tenepes, pois os processos energéticos intensos durante a tenepes podem ocasionar alguma alteração.

(fonte: www.ceaec.org).

Laboratório Radical da Heurística - LRH - Serenarium


Proposta. O Laboratório Radical da Heurística (LRH) - Serenarium é base física adequada à imersão, internação voluntária e concentração do experimentador durante 3 dias, em condição de isolamento intrafísico. O objetivo é captar, profundamente, idéias originais a respeito da própria evolução. O laboratório dispõe de ambiente para aplicação de método analítico objetivando descoberta de verdades relativas de ponta (verpons), com base na raiz dos fatos.
Programação. A programação total prevista para o experimento dura 7 dias. O laboratório está disponível todas as semanas do mês, com exceção das terceiras semanas.
Forma. O LRH-Serenarium dispõe de paratecnologia desencadeante da criatividade pura, segundo o Paradigma Consciencial, isto é, considerando-se a holossomática, a pluriexistencialidade, a multidimensionalidade e a bioenergética.
Lista de espera. O LRH - Serenarium está aberto à CCCI desde 01/08/2006. Os pesquisadores interessados em agendar o experimento devem solicitar a inserção de seus nomes na LISTA DE INTERESSADOS.
Pré-requisitos:
  • Ser pesquisador da Conscienciologia há pelo menos um ano, identificando a IC onde voluntaria.
  • Ter concluído pelo menos um dos seguintes cursos: AMD; CIP; CPC.
  • Ter realizado, pelo menos uma vez, o experimento no Laboratório de Imobilidade Física Vígil em algum dos campi conscienciológicos existentes na Comunidade Conscienciológica Cosmoética Internacional - CCCI.
  • Ser maior de 18 (dezoito) anos ou emancipado.
  • Estar em pleno gozo da saúde física e mental, estados esses devidamente comprovados por atestado médico, entregue à Associação ARACÊ.
Laboratórios de Autopesquisa

Mais informações: Telefone/voip (11) 4063 7816 / (45) 4053 9433
E-mail: serenarium@arace.org">serenarium@arace.org e associacao@arace.org">associacao@arace.org

Laboratório da Grupalidade


Laboratório. O laboratório foi preparado para o estudo da Grupalidade (Área de estudo da Grupocarmalogia), em experimentos de 1h e 30 minutos. Este laboratório reúne planilhas, textos e testes da Conscienciologia relacionados à Grupocarmalogia.


Aracê
Definologia. A Grupocarmalogia é a especialidade da Conscienciologia aplicada ao estudo das relações ou princípios de causa e efeito atuantes na evolução da consciência quando centrados no grupo evolutivo. (Vieira, 2003, p. 403)

Grupalidade.
Segundo Vieira (2003), “...a grupalidade é sempre a tentativa de reunir as partes de muitos cérebros na esperança de compor, pelo menos, 1 cérebro inteiro mais funcional”.

Técnica. Através da correlação entre os itens da listagem de temas relacionados à grupalidade e o exercício prático é possível extrapolar a compreensão das inter-relações grupais vivenciadas no dia-a-dia. O experimentador pode delinear estratégias objetivando o completismo em relação ao egocarma, grupocarma e policarma, considerando os fatores facilitadores e dificultadores na concretização das metas estabelecidas a curto, médio e longo prazo. Nesse processo introspectivo é possível a captação de idéias ou diálogo transmental com os amparadores, trazendo informações enriquecedoras do autoconhecimento e relevantes na auto-superação.

(Fonte: Manual do Laboratório da Grupalidade, Ed. ARACÊ, 2004).

Laboratório da Diferenciação Pensênica


Laboratório. O laboratório foi preparado para o estudo da diferenciação pensênica (paraconstructo próprio da Conscienciologia Aplicada), em experimentos de 1h e 30 minutos. Este laboratório reúne textos e testes da Conscienciologia enquanto recursos para auto-análise sobre a própria identidade multiexistencial.

Etimologística. Segundo o Dicionário Etimológico Nova Fronteira da Língua Portuguesa, diferenciar, do latim differire (diferir), é ser diferente, distinguir, reconhecer, diferençar, fazer ou estabelecer distinção, perceber distintamente.

Definologia. A diferenciação pensênica é a identificação de interferência(s) externa(s) na manifestação pensênica pessoal a partir do reconhecimento paraperceptivo e decodificação dos padrões alheios de pensamentos, sentimentos e energias.

AracêExemplologia. Intrusões sadias ou patológicas na psicosfera pessoal  promovidas por conscins, consciexes e pressões holopensênicas, em qualquer dimensão onde a consciência se manifeste. Alterações abruptas de humor e pensamentos e a ocorrência de “brancos” mentais, sintomas físicos relaciondos a dores, entre outros, podem ser investigados na condição de elementos indicadores de intrusão pensênica.

Atenção. O uso da atenção concentrada favorece a detecção do grau de interferência externa nas manifestações pensênicas pessoais.
   

Técnica. Entre os objetivos da aplicação da Técnica da Diferenciação Pensênica estão:
  • 1) Identificar a influência de consciexes amparadores e/ou assediadoras nas manifestações pessoais: posturas, idéias, sentimentos, sanidade, identidade, fenômenos vivenciados.
  • 2) Identificar a origem das características pessoais: genética, mesologia, paragenética e intrusões pensênicas.
  • 3) Anatomizar as intrusões holossomáticas vivenciadas no dia-a-dia
(fonte: Manual do Laboratório de Diferenciação Pensênica, Ed. ARACÊ, 2004).
Aracê

Laboratório de Pensenologia

AracêLaboratório. O laboratório foi preparado para o estudo do pensene (conjunto formado pelo pensamento, sentimento e energia, de modo indissociável), em experimentos de 1h e 30min.

Teoria. A Teoria do Pensene (Vieira, 1994) propõe a manifestação consciencial de pensamentos, sentimentos e energias de modo indissociável. A Pensenologia encontra-se nas bases da Conscienciologia, pois o pensene é a matriz das manifestações e interações conscienciais.

Estudo. O laboratório favorece o estudo da qualidade dos próprios pensenes, do materpensene ou pensene predominante nas manifestações conscienciais, ajudando a destacar o fator que prevalece nos pensenes pessoais (pensamento ou sentimento ou energia), da influência recíproca entre holopensenes ambientais e o holopensene pessoal, das interações pensênicas estabelecidas com outras consciências no dia-a-dia, e de outros itens relevantes.
Estes itens podem ser analisados mais profundamente mediante a Técnica de Avaliação Holopensênica, após relaxamento e mobilização energética visando a expansão da consciência.

(fonte: www.ceaec.org).

Laboratório da Paragenética

Ambiente destinado ao estudo da paragenética, ou genética extrafísica, em experimentos de 1h e 30min.
A paragenética relaciona-se ao conjunto de experiências prévias da consciência, em vidas pretéritas e durante o período intermissivo, e aos seus talentos, potencialidades, valores, inclinações e atributos conscienciais desenvolvidos ao longo de múltiplas seriéxis.
A paragenética pode-se manifestar mediante as idéias inatas que o indivíduos apresenta espontaneamente desde a infância, mais evoluídas que a média das idéias vigentes em seu círculo de manifestações, ou mesmo na existência de um macrossoma, ou corpo fora-de-série especialmente preparado para a realização de proéxis específica.
A paragenética pode ser a origem tanto de traços positivos quanto de tendências negativas da consciência ou predisposições a distúrbios holossomáticos, reforçados ou não pela genética e pelo meio ambiente.
No laboratório há um conjunto de planilhas que permitem a análise de fatores genéticos (traços físicos e de personalidade herdados biológicamente dos pais), mesológicos (ambiente, cultura, educação, família) e paragenéticos que atuam na vida intrafísica.
O material de apoio do laboratório também compreende uma série de textos e testes relacionados aos itens das planilhas.
Além do trabalho com as planilhas e textos, pode-se reservar uma parte do experimento para a aplicação da Técnica da Autoconscientização quanto às Influências Genéticas, Mesológicas e Paragenéticas, objetivando ampliar a lucidez pessoal e a manifestação na dimensão intrafísica de um percentual maior da própria realidade evolutiva.

Laboratório da Mentalsomática

Ambiente preparado para o estudo dos atributos do mentalsoma, em experimentos de 3h e 30min.
O mentalsoma é o corpo do discernimento e da cosmoética, que possibilita racionalizar as emoções e dinamizar a evolução consciente.
Apresenta atributos avançados tais como:
  • intelecção
  • pensenidade
  • imaginação
  • autoconcentração mental
  • autojuízo crítico
  • associação de idéias
  • paraimaginação
  • parapsiquismo
  • holomemória
  • autodiscernimento
  • vontade
  • continuísmo
No laboratório há um conjunto de planilhas para apoiar a análise aprofundada de cada um destes atributos, e textos selecionados sobre os mesmos para consulta.
Outro recurso é o Teste das Manifestações pelo Mentalsoma, que pode ser aplicado para a avaliação:
  1. Da relação entre homeostase holossomática e os desempenhos com os atributos do mentalsoma
  2. Do emprego do mentalsoma na organização do holossoma e das manifestações conscienciais
  3. Do uso dos atributos do mentalsoma na dinamização das ações objetivando a execução da proéxis.
Outra opção é a aplicação da Técnica da Projeção pelo Mentalsoma objetivando a avaliação do atributos deste veículo de manifestação.

Laboratório da Imobilidade Física Vígil

Ambiente preparado para a aplicação da técnica da imobilidade física vígil, em experimentos de 3h e 30min.
A Técnica consiste em ficar imóvel por 3 horas ininterruptas, sentado em uma poltrona, com as pernas estendidas sobre um apoio, olhando fixamente para um anteparo branco e liso, mantendo os olhos semicerrados.
Somente a respiração natural é permitida, devendo-se evitar engolir e até mesmo piscar. Deve-se resistir a coceiras, tosse e à vontade de se mexer.
Durante a realização da técnica pode-se refletir sobre questões pessoais de interesse, mobilizar energias conscienciais e explorar as parapercepções, desde que se permaneça imóvel.
O relógio deve ser colocado fora do campo visual. O experimentador não deve se cobrir durante o experimento, para evitar estímulos adicionais sobre o soma imóvel.
É importante observar a colocação adequada dos travesseiros na poltrona e acomodação correta do soma, a fim de evitar tensões musculares inoportunas.
Mesmo não conseguindo permanecer imóvel por 3 horas, não se deve perder a oportunidade de continuar no laboratório até o horário final previsto para o experimento, devido ao campo energético propício.